NATUREZA

No gesto do Criador
De dar vida as criatura
Diz a sagrada escritura
Que o Senhor em sua graça
Generoso deu de graça
P’ro homem a natureza
Um mundo de rara beleza
Com perfeição e harmonia
Um hino de poesia
Com fartura sobre a mesa.

Admirado o homem
Deu graças agradecido
Pelo Senhor ter permitido
Viver neste paraíso
E sem que fosse preciso
Pagar para aqui morar
Tendo só que conservar
E partilhar os seus frutos
Pois foi dado em usufruto
Para todos desfrutar.

Mas o tempo foi se passando
E com ele veio a ganância
E homem sem dar importância
Fingindo desconhecer,
Na ânsia de mais poder
Não mediu as conseqüências
E numa atitude de demência
Própria dos inconseqüente
Destruiu o meio-ambiente
Decretando a sua falência.

O homem patrão da terra
Achou-se senhor da vida
E as lições dos escribas
Foram desconsideradas
A mata foi devassada
A água contaminada
O ar cheirando queimada
Os animais em extinção
No mundo a poluição
Deixou a natureza arrasada.

Só restou nos filmes de história
A natureza in-natura
Quando as fontes de água pura
Desciam pela cachoeira
E a árvore da vida a videira
E até a fruta proíbida
Eram liberada e permitida
Pois tudo era liberdade
Eis que a inveja e a maldade
Ainda não tinham nascida.

Por isso eu tenho saudade
Do tempo de antigamente
Quando na terra a semente
Germinava sem veneno
E o orvalho do sereno
Era feito ágia cristalina
Do meu pé de laranja-lima
E do doce favo de mel
E da pesca de espinhel
Com canoa rio acima.

Lembro dos dias de infância
Dos jujos feito remédio
Quando a doença o stress o tédio
Se curavam com chá caseiro
E como era bom de primeiro
Não havia tanta ciência
Mas com jeito e com paciência
Sem a pressa de ter pressa
Não se vivia as avessa
Pois se tinha mais consciência.

Hoje só resta lembrança
Dos nossos antepassados
De um mundo admirado
Da natureza criança
De onde vem a esperança
Que revendo o que foi feito
O bicho homem tome jeito
Não dê a causa por perdida
Devolva de novo a vida
E dê a natureza o respeito.

Se espera que a humanidade
Tenha aprendido as lições
E que as novas gerações
Já possam nascer sabendo
De que onde estão nascendo
É um mundo de improviso
E mais do que nunca é preciso
Saber que só a mãe natureza
É quem dá a vida e a beleza
E faz daqui um paraíso

Comente ou link essa página

Nome:

Email:

Site:  

Comentar:

Divulgue!


Coloque esse link no seu facebook, site, twitter...

Assine no RSS
Assine e receba o RSS Feed de notícias!

Acompanhe meu trabalho no Twitter.
Será um prazer ter você na minha rede de amigos.